Vinhos Halberth: quatro décadas de história

Repleta de tradição e qualidade, a Halberth foi fundada por Alberto Andreazza em 1981, em Flores da Cunha, na Serra Gaúcha. Ele aprendeu o ofício de cultivar a vinha e produzir vinhos com o pai, Jiusepe Andreazza.
A vocação foi passada de geração para geração: juntamente com os filhos, que se aperfeiçoaram com novas técnicas de produzir e armazenar vinhos, Alberto expandiu a produção e decidiu transformar a cantina rural em uma vinícola.

Atualmente, a Vinícola Halberth produz aproximadamente 1,2 milhões de litros de vinho anualmente e tem capacidade para armazenar em média 2,1 milhões de litros em tanques de aço inox. Com um centro logístico rápido e eficiente, a vinícola marca presença em todas as regiões do Brasil.

Espumante Alberto celebra os 40 anos da Halberth

Para marcar os 40 anos de história completados em 2021, a Halberth lança uma linha comemorativa de espumantes. O nome da novidade homenageia o fundador da marca, Sr. Alberto Andreazza, e chega ao mercado em duas versões: Brut e Demi-Sec.

A linha Alberto é produzida por meio do método tradicional, também conhecido como Champenoise, que consiste em realizar a segunda fermentação ou a tomada de espuma dentro da própria garrafa. Desta forma, o gás carbônico produzido pela fermentação fica aprisionado na garrafa. Esse método confere mais estrutura e complexidade à bebida.

Confira o passo a passo da produção dos espumantes Alberto:

– Primeiramente é feita uma seleção dos melhores cachos da cultivar Chardonnay. Após, é realizado o desengace destes cachos e a separação entre a parte líquida e sólida. Com a melhor parcela deste mosto é feito o espumante.

– Em seguida, dentro dos tanques de inox, adiciona-se ao mosto a levedura que irá promover a fermentação. Durante todo o tempo de fermentação é feito o controle da temperatura, bem como de outros parâmetros importantes para garantir a qualidade no processo. Após finalizar a primeira fermentação alcoólica, o vinho base é separado de suas borras – que são resíduos do processo fermentativo – e fica estocado em tanques de aço inox em temperatura ambiente.

– Depois de alguns meses, procede-se com a segunda fermentação. É nesta etapa em que ocorre a formação das bolhas de gás carbônico conhecidas como perlage do espumante. É inoculada uma nova cepa de leveduras ao vinho e este líquido é envasado nas garrafas, que são fechadas e colocadas na posição horizontal dentro de palets. Essas garrafas ficam acomodadas em um ambiente com temperatura controlada entre 13 a 17 graus.

– A segunda fermentação leva em média 30 dias e é muito importante que, durante este tempo, a temperatura não oscile mais do que 5 graus. Após o final da segunda fermentação, as garrafas permanecem na mesma posição e o espumante fica sobre suas próprias borras, no mesmo ambiente, com temperaturas mais amenas, por aproximadamente 10 meses.

– A próxima etapa chama-se Remuage e consiste em limpar o espumante que se encontra sobre as borras. Para isso, as garrafas são posicionadas em uma inclinação de 45 graus por aproximadamente 15 dias. Nesta posição, a parte sólida (borras) se deposita no gargalo da garrafa. Em seguida, o gargalo é congelado e logo após a garrafa é aberta. A pressão interna se encarrega de expulsar estas borras, permanecendo assim um líquido límpido. A rolha e a gabieta são colocadas imediatamente após este processo para evitar que as borbulhas escapem da garrafa.

Confira o que você vai encontrar ao experimentar os espumantes da linha Alberto produzidos pelo método Champenoise:

– Aspecto Visual: Coloração amarelo-palha. Perlage de média intensidade, fina e persistente.

– Aspecto Olfativo: Notas cítricas. Percebe-se principalmente notas de maçã verde. Estão presentes também aromas fermentativos de levedura.

– Aspecto Gustativo: Possui boa acidez e refrescância. Espumante equilibrado, redondo e com ótimo volume de boca.

– Harmonização: Acompanha entradas e canapés. Harmoniza muito bem com sushi, saladas com molhos cítricos, risotos de sabor leve e carnes com molhos mais ácidos.

– Diferença do Brut para o Demi-Sec: No paladar, a diferença é que o Demi-Sec é levemente adocicado quando comparado ao Brut.

– Temperatura ideal: 4 a 8°C